11 janeiro 2007

Vamos ver o Raul



Ainda que não tenha propensão natural para encontrar com facilidade o lado bom daquilo que só parece mau, esta recente quarentena do meu estimado computador resultou, para já, em algo que creio ser importante.

Ao ter que, novamente, converter em formato digital uma quantidade interessante de discos que têm (porque têm) que estar no computador, recordo-me do que foi o ano que acabou em matéria musical e, sobretudo, em matéria de canções.

Assim me tinha ocorrido a dos Teddybears já enunciada. Surgiu-me agora outra, uma daquelas canções grandiosas. No caso, trata-se do colectivo The Automatic, de Cardiff, País de Gales (apenas um dos numerosos contribuintes para um ano de generosa colheita no Reino Unido).

Chama-se a canção "Raoul" e está no álbum de estreia da banda, Not Accepted Anywhere. Em quase todo o álbum, os Automatic são uma interessante criação vinda do ponto em que se cruzam veias punk com artérias saturadas pelo rock de 1980 e por uma electrónica de Casiotone.

Como no caso anterior, basta aceder ao MySpace dos Automatic e esperar que o player faça o resto. O original é melhor do que a versão de 2007 que lá está.

Mas isto pode ser do meu ouvido, que é 1 pouco mouco.

Sem comentários:

Publicar um comentário