03 dezembro 2005

Mas, por falar nisso...

MTV

Ainda a propósito do post anterior, não fique o gentil leitor com a ideia de que Portugal é um país desinteressante no que às teorias de conspiração diz respeito. Talvez tenha este servo pintado um quadro demasiado triste. Calma. Está aqui o pretexto para partilhar algo em que já perdi algum tempo a pensar.

Desde que os Gift anunciaram a rescisão do contrato de distribuição com a Universal Music e imediata transição para o circuito da EMI que sou atormentado por estas vozes, obviamente decorrentes do facto de ter o ouvido 1 pouco mouco. Desde então, dizia eu, que oiço vozes que dizem: "todos os nomeados para a categoria de Melhor Grupo Português nos Prémios MTV europeus são da EMI". O "são" não significa, no caso, "pertencem"; "são distribuídos" é a expressão correcta.

Antes de os Gift passarem para a EMI, pensei ser interessante que o grupo vencedor do prémio MTV fosse o único que não conhecia a distribuição através daquela multinacional. Depois é que foi pior, quando o tal anúncio coincidiu com o início da tal patologia das vozes. Agora a EMI tinha o pleno. Comecei entao a ter visões deste tipo:

Blasted Mechanism ----> Toolateman ----> EMI
Da Weasel ----> EMI
Humanos ---->EMI
Boss AC ----> NorteSul ----> EMI
The Gift ----> La Folie ----> EMI

Pior fiquei ainda ao lembrar-me que nunca obtive resposta à pergunta que coloquei antes de os Blind Zero ganharem este prémio pela primeira vez: quem contribui para a lista dos nomeados aos galardões? Comecei a tremer e com espasmos estranhos.

Esta história não tem, com toda a certeza, elementos menos claros ou uma justificação com base em pressão ou conspiração. É apenas uma forma de dizer que, feitas as contas, em Portugal também pode haver espaço para fantasiar.

Mas isto pode ser do meu ouvido, que é 1 pouco mouco.

Sem comentários:

Publicar um comentário